Últimas notícias de economia, política, carros, emprego, educação, ciência, saúde, cultura do Brasil e do mundo. Vídeos dos telejornais da TV Globo e da GloboNews.
Entenda: Operação Quadro Negro investiga desvio de dinheiro de obras de escolas no Paraná
Conforme o Ministério Público do Paraná (MP-PR), o ex-governador Beto Richa é o chefe do esquema que desviou pelo menos R$ 20 milhões. Delator diz ao Ministério Público que Beto Richa pediu para apagar provas Um dos maiores escândalos de corrupção do governo de Beto Richa (PSDB), a Operação Quadro Negro investiga desvio de pelo menos R$ 20 milhões que deveriam ter sido usados na construção e reformas de escolas públicas no Paraná. O Ministério Público do Paraná (MP-PR) apresentou duas denúncias contra o ex-governados e mais cinco pessoas. Os promotores apontam Richa como chefe da organização criminosa que prejudicou a educação do estado. De acordo com denúncia do MP-PR, o esquema era chefiado pelo então governador do Paraná, Beto Richa. Os promotores afirmam que o ex-governador era o comandante e principal beneficiário dos desvios. A investigação que levou o ex-governador à cadeia foi baseada, entre outras provas, na delação premiada feita pelo ex-diretor da Secretaria de Educação do Paraná Maurício Fanini, preso desde 2017. Na denúncia, os promotores afirmam que Fanini "desfrutava, há décadas, da mais íntima amizade com Beto Richa" e que cabia ao ex-diretor a missão a de solicitar vantagens indevidas a alguns empresários que tivessem contratos com o estado, como é o caso de Eduardo Lopes de Souza, da construtora Valor. Os promotores destacam ainda que Fanini tinha a "obrigação de prestar contas regularmente a Beto Richa a respeito dos valores arrecadados". A afirmação foi feita na delação premiada homologada pela Justiça. "Eu ia praticamente semanalmente lá na casa dele [Richa], lá no gabinete dele, lá no Palácio Iguaçu, ou senão eu participava no fim de semana, estava sempre junto. Ele sabia o que estava acontecendo. Eu, olha, eu tenho tanto de dinheiro, aconteceu isso, aconteceu aquilo", disse o delator. A arrecadação da propina, segundo a denúncia, era feita por operadores, pessoas da mais alta confiança de Beto Richa, como Luiz Abi Antoun, primo dele, Ezequias Moreira, ex-secretário de Cerimonial, Jorge Atherino, empresário e amigo de Richa. Eram eles que, seguindo ordens do ex-governador, informavam Fanini o momento e os valores a serem repassados. Richa, Atherino a Moreira foram presos preventivamente nesta terça-feira (19). De acordo com os promotores, entre os anos de 2012 e 2014 foram feitos repasses milionários a Beto Richa. O MP-PR afirma que o então governador deu aval para Fanini adotar medidas necessárias para aumentar o pagamento de propina. Ainda que, para isso, tivesse que fazer ajustes para a conclusão das escolas - ou seja, pagar por obras que mal saíram da fundação e que reeleito ele tinha o segundo mandato para acertar a situação das empresas. A denúncia detalha uma entrega feita em 2013, de R$ 500 mil. O pedido de propina foi feito, segundo os promotores, dentro do Palácio Iguaçu. Já o repasse, era destinado conforme determinação de Richa. Na delação premiada, Fanini afirmou que parte do dinheiro desviado das escolas foi para uso pessoal do ex-governador. A denúncia relata ainda que, quando esquema de corrupção começou a ruir, em 2015, Beto Richa agiu para atrapalhar as investigações. Ele também foi denunciado por obstrução de Justiça. Os promotores afirmam que a organização criminosa passou a embaraçar as investigações para impedir o acesso a provas que levassem a Richa. A ex-primeira dama, Fernanda Richa, segundo a denúncia, agiu para evitar que o ex-diretor da secretaria revelasse fatos que pudessem levar ao marido e líder do grupo criminoso. Fanini afirmou, na delação, que Beto chegou a pedir para que destruísse documentos, fotos e mensagens. "O Beto estava apagando as fotos do Luiz Abi. 'Ó, tô apagando todas as coisas que eu tenho aqui do Luiz Abi, as conversas de WhatsApp, fotos, tudo, e você eu quero que faça a mesma coisa, tire, apague todas as fotos, as conversas, tire tudo. Se tiver dinheiro em casa, documento, tire tudo e tal", afirmou Fanini. O esquema de corrupção prejudicou milhares de estudantes e deixou em ruínas escolas de norte a sul do estado. O que dizem os citados Em nota, a defesa de Beto Richa disse que a prisão desta terça não tem fundamento, que são fatos antigos, já esclarecidos, e que as fraudes foram descobertas e denunciadas pela gestão do ex-governador, que tomou medidas contra os autores dos crimes. A defesa disse que repudia o que chamou de perseguição ao ex-governador e a seus parentes, mas que segue confiando nas instituições do Poder Judiciário. A defesa de Fernanda Richa disse que não teve acesso aos autos e que só vai se manifestar quando tomar conhecimento dos fatos. Em nota, a Secretaria de Educação do Paraná informou que foi a primeira a investigar os indícios de irregularidades, que abriu uma auditoria interna e encaminhou o caso à Polícia Civil, MP-PR e Tribunal de Contas. A defesa de Maurício Fanini afirmou que vai continuar colaborando com a Justiça e esclarecendo os fatos que são objeto das investigações e processos judiciais. O advogado de Ezequias Moreira disse que vai se manifestar no processo. A defesa de Jorge Atherino afirmou que não existem os requisitos para prisão preventiva e que vai se manifestar no processo. O advogado da empresa Valor e de Eduardo Lopes de Souza afirmou que seus clientes continuam à disposição para colaborar com a Justiça. Luiz Abi Antonun ainda não tem advogado constituído nos processos da Operação Quadro Negro. Veja mais notícias do estado no G1 Paraná.
Wed, 20 Mar 2019 00:39:15 -0000
Homem é preso suspeito de matar esposa e mudar cena do crime em Laranjeiras do Sul, diz polícia
Caso é investigado como suspeita de feminicídio; suspeito atirou contra a vítima e tentou simular que houve um assalto, de acordo com a polícia. Morte de mulher em Laranjeiras do Sul pode ser mais um caso de feminicídio Um homem, de 40 anos, foi preso em Laranjeiras do Sul, região central do Paraná, suspeito de matar a esposa, de 29 anos, e de mudar a cena do crime, segundo a Polícia Civil. O suspeito foi preso na segunda-feira (18). Conforme a polícia, ele atirou contra a mulher e tentou simular que outra pessoa havia cometido o crime. O caso é investigado como suspeita de feminicídio. Depois de ouvir depoimentos de testemunhas e do suspeito, que possui histórico de violência contra a mulher, a polícia informou que a vítima comentou com familiares que era ameaçada pelo marido. Na primeira versão do depoimento, conforme a polícia, o homem disse que estava em uma casa com o irmão e que depois ouviu tiros, foi verificar o que aconteceu e encontrou a mulher. A vítima tinha marcas de tiros na nuca. Entretanto, segundo a Polícia Civil, a versão apresentada pelo suspeito e pelo irmão, além da cena do crime encontrada pelos policiais, foram forjadas pelos envolvidos. "Diante de todos esses elementos desse relacionamento abusivo, por parte dele contra ela, e de diversas contradições nas versões do marido e do irmão, a polícia entendeu que havia indícios para prisão em flagrante", disse o delegado Marcelo Trevizan. Veja mais notícias da região no G1 Campos Gerais e Sul.
Wed, 20 Mar 2019 00:35:32 -0000
No dia de São José, fiéis fazem procissão pelas ruas de Fortaleza

Devotos enfrentaram uma chuva fina durante a caminhada de cerca de 30 minutos em dia marcado por homenagens ao padroeiro do Ceará Uma multidão de devotos seguiu a imagem de São José em procissão pelas ruas do Centro Foto: Kid Júnior/Sistema Verdes Mares Católicos devotos de São José, padroeiro do Ceará, saíram em procissão pelas ruas do Centro de Fortaleza na tarde desta terça-feira (19). Com cânticos, orações e muita disposição para enfrentar uma caminhada de 30 minutos debaixo de uma leve chuva, os fiéis deixaram a Catedral Metropolitana por volta de 17h30 juntamente à imagem do santo que é símbolo da esperança de fartura e de um bom inverno no estado. As celebrações haviam começado bem cedo, com uma procissão que iniciou antes das 4h da manhã no município de Pindoretama e com as primeiras missas sendo realizadas às 7h na Catedral e em outros bairros da cidade, além de municípios do interior do Ceará. Antes da missa de encerramento, os fiéis seguiram pelas ruas do entorno da catedral. Em cada rosto, uma expressão de agradecimento e de súplica pelas bençãos do padroeiro. Adultos, idosos e crianças acompanharam, mesmo sob chuva, o cortejo em homenagem ao santo. Por volta das 18h, os fiéis retornaram para a Igreja, onde participaram da última missa do dia, celebrada pelo arcebispo de Fortaleza, Dom José Antônio Aparecido Tosi Marques. Agentes da Polícia Militar do Ceará, da Guarda Municipal de Fortaleza e da Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC), estiveram presentes durante a caminhada fazendo a segurança dos fiéis.
Wed, 20 Mar 2019 00:33:33 -0000
Servidores do TJMG entram em greve por auxílios saúde e transporte e reajuste de salários

Tribunal disse que não reconhece movimento como legítimo e que greve foi ‘inexpressiva’ no 1° dia. Minas passa por grave crise financeira, enquanto servidores do executivo recebem com atraso e de forma parcelada, funcionários do Tribunal seguem recebendo em dia. Servidores do TJMG em greve protestam em Belo Horizonte Reprodução/TV Globo Servidores do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) entraram em greve nesta terça-feira (19). De acordo com o Sindicato dos Servidores da Justiça em 2ª Instância de Minas Gerais (Sinjus-MG), a categoria reivindica “respeito e cumprimento por parte do TJMG das leis Nº 23.173/2018, que institui os auxílios saúde e transporte, e Nº 18.909/2010, que assegura a revisão geral anual, no caso, a data-base 2018, vencida há dez meses”. Os trabalhadores fizeram uma manifestação durante o dia. De acordo com o TJMG, a adesão à greve neste primeiro dia foi “inexpressiva”. O Tribunal disse ainda que não reconhece o movimento como legítimo e só vai se reunir com o sindicato após o fim do movimento. O coordenador-geral do SINJUS-MG, Wagner Ferreira, criticou a postura da presidência do TJMG. “O presidente do TJMG, desembargador Nelson Missias, tem atendido demandas recentes de magistrados. Neste ano, juízes tiveram os salários e os auxílios saúde e livro reajustados em mais de 16%, além do direito de ter indenizadas as férias-prêmio”, afirmou. Crise financeira em MG Minas Gerais passa por uma grave crise financeira. Os servidores do executivo recebem desde fevereiro de 2016 de forma parcelada, e com atraso. O décimo terceiro de 2018 ainda não foi pago aos trabalhadores. A crise, porém, não afeta os servidores do Judiciário e do legislativo, que não recebem de forma e sem atraso.
Wed, 20 Mar 2019 00:30:44 -0000
Pedido de vista suspende julgamento do distrital José Gomes no TRE-DF

Denúncia do MP diz que deputado usou a empresa Real JG para exigir votos de funcionários. Por ora, placar tem três votos favoráveis à cassação do parlamentar. Deputado distrital José Gomes (PSB) em comissão na Câmara Legislativa do DF Facebook/Divulgação O processo do deputado José Gomes (PSB) no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Distrito Federal foi adiado após o desembargador Telson Ferreira pedir vista nesta terça-feira (19) – mais tempo para analisar o assunto. O distrital foi denunciado pelo Ministério Público Eleitoral por abuso de poder. Segundo a denúncia, José Gomes usou a empresa Real JG para exigir o voto dos cerca de 10 mil funcionários, sob ameaça de demissão e usando argumentos como "gratidão pelo emprego" (ouça áudios abaixo). O relator do caso, desembargador Waldir Leôncio, defendeu durante seu voto a cassação e inelegibilidade de oito anos de José Gomes. O desembargador Daniel Paes Ribeiro acompanhou o voto do relator, assim como fez Diva Lucy. Não há prazo para a Corte retomar a discussão. Até o pedido de Telson Ferreira, faltavam ainda as manifestações dos desembargadores Erich Endrillo e Hector Valverde. Na prática, se nenhum magistrado mudar de opinião, José Gomes poderá ser penalizado pelo crime de abuso de poder. Se condenado, a pena ainda precisará ser estipulada. Ainda assim, ele tem possibilidade de recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A defesa do deputado disse que "acredita no Judiciário e na comprovação da inocência". A denúncia A denúncia apresentada ao TRE diz que os empregados da Real JG Serviços Gerais, "desde o instante em que o réu lançou-se pré-candidato ao cargo de deputado distrital, foram submetidos a odioso processo de assédio e coação para manifestarem seu apoio político em favor daquela candidatura e trabalharem por sua eleição". Apuração da 11ª Promotoria de Justiça do DF, por exemplo, indicou que o próprio José Gomes convocou os empregados a "vestirem a camisa", e a "abraçar essa causa juntos e acreditar em uma mudança que possa beneficiar a todos" – as aspas são atribuídas a ele no processo. A ação inclui uma mensagem que teria sido distribuída por Gomes, via WhatsApp, aos funcionários. Para o MPE, é "nítida e induvidosa a finalidade eleitoral da mensagem, que se presta a granjear apoio político invocando a suposta benevolência do réu e de sua empresa". Parente de deputado acusado de assédio eleitoral é nomeado para setor de licitações da Câmara Áudios Gravação mostra pressão para funcionários votarem no chefe para deputado O processo aponta áudios de discursos creditados ao gerente operacional da Real JG, Douglas Ferreira Laet. Em juízo, Laet reconheceu a autoria das falas. Em uma das gravações, ele fala em monitorar o voto dos funcionários para descobrir "traições". "Então só pra deixar claro, eu já tenho o título de eleitor de vocês, sei a zona onde vão votar e sei quem vai trair ou não vai trair a Real, o senhor José Gomes. Sei quem vai dar tapinha nas costas e sei quem no dia não vai estar, porque se naquela zona tinha que votar dez e votou só nove, alguém ficou de fora, alguém que está com a gente." Em outro áudio, a mesma voz diz que o empresário José Gomes já tinha dado uma "contrapartida" para o voto – no caso, o próprio emprego dos funcionários. "Dizem que na época de eleição pessoas ganham um pouco de telha, um lote, alguma coisa se caso {apareça}, ou um emprego melhor, né? Talvez é assim. O que eu quero dizer pra vocês é que José Gomes já deu isso pra vocês, vocês já têm." O processo também apresenta depoimentos de funcionários que teriam sido demitidos por se negarem a votar ou a fazer campanha para José Gomes. Nestes casos, eles afirmam que foram indicados para o emprego por outro candidato – o eleito Roosevelt Vilela (PSB), correligionário de José Gomes. Por fim, o MP Eleitoral citou que condutas semelhantes, também caracterizadas como abuso de poder eleitoral, levaram à cassação do mandato do ex-distrital Benício Tavares, eleito em 2010. Ele era dono da Brasília Empresa de Segurança Ltda. Empresa condenada No início deste mês, a Justiça Trabalhista condenou a Real JG a pagar R$ 5 mil de indenização por danos morais a uma funcionária que alegou ter sido obrigada a votar no político nas últimas eleições. De acordo com a sentença, ela acabou demitida porque resistiu às pressões. Leia mais notícias sobre a região no G1 DF.
Wed, 20 Mar 2019 00:28:20 -0000
VÍDEOS: JRO 1ª edição de terça-feira, 19 de março de 2019

Telejornal é apresentado por Yonara Werri. Telejornal é apresentado por Yonara Werri.
Wed, 20 Mar 2019 00:28:01 -0000
Senado aprova projeto que obriga agressor a ressarcir SUS nos casos de violência doméstica

Pelo texto, agressor deve pagar custos de serviços prestados à vítima. Texto passará por nova análise dos deputados porque, mesmo já aprovado pela Câmara, foi alterado pelos senadores. Senadores reunidos no plenário durante a sessão desta terça (19) Roque de Sá/Agência Senado O Senado aprovou nesta terça-feira (19) um projeto para obrigar o agressor condenado a ressarcir o Sistema Único de Saúde (SUS) nos casos de violência doméstica ou familiar contra a mulher. A proposta, que altera a Lei Maria da Penha, tem origem na Câmara e, como foi modificada pelos senadores, retorna para nova análise dos deputados. Pela proposta, além de reparar danos causados à mulher, o agressor condenado deverá ressarcir os custos relativos a serviços de saúde prestados para o tratamento da vítima de violência doméstica, se o atendimento ocorrer no SUS. Segundo o projeto, os recursos do ressarcimento serão destinados ao ente público ao qual pertence a unidade de saúde que prestar o atendimento à mulher. Esse foi um dos pontos modificados pelo Senado. Antes, a proposta previa que o dinheiro seria revertido ao fundo de saúde do ente federado responsável pelas unidades de saúde que prestarem os serviços. A proposta aprovada nesta terça determina que não poderão ser usados, no pagamento, recursos da própria vítima e de seus dependentes. O ressarcimento também não poderá ser um atenuante ou substituir a pena aplicada na esfera criminal. De acordo com a proposta aprovada, os agressores também terão de pagar os dispositivos de segurança usados no monitoramento de vítimas de violência doméstica que têm medidas protetivas. “Não é justo que a sociedade seja onerada, ainda que indiretamente, por causa de ilícitos cometidos pelos agressores da violência doméstica. Já era tempo de se estabelecer a responsabilidade do agressor em ressarcir essas despesas, que, cabe ressaltar, não existiriam se ele não tivesse praticado o delito”, afirmou o senador Roberto Rocha (PSDB-MA), relator da proposta.
Wed, 20 Mar 2019 00:26:50 -0000
Piloto 'de folga' evitou queda de Boeing 737 MAX um dia antes de acidente na Indonésia, diz agência

Avião caiu no dia seguinte, matando 189 pessoas. Modelo é o mesmo de aeronave que sofreu acidente na Etiópia. Imagem liberada pela polícia indonésia mostra resgatista na porta do avião da Lion Air AP Um piloto de folga evitou a queda de um Boeing 737 Max 8 da companhia aérea Lion Air. Um dia depois, a mesma aeronave caiu na Indonésia, matando 189 pessoas. O avião também é do mesmo tipo do que sofreu acidente em 10 de março na Etiópia, quando 157 morreram. A informação foi divulgada nesta terça-feira (18) pela agência norte-americana Bloomberg. Segundo investigadores indonésios, um defeito no sistema levava o motor a puxar o nariz do avião para baixo – problema semelhante ao ocorrido no voo da Lion Air que caiu. Assim, um piloto da companhia que estava de folga no assento extra do cockpit – a cabine onde fica o comandante – instruiu os colegas a desativarem o motor defeituoso. O voo ligava a cidade de Bali à capital da Indonésia, Jacarta, e pousou normalmente. Nem a Boeing nem o comitê de segurança de aviação do país asiático quiseram comentar o caso. Boeing 737 MAX Por causa dos acidentes na Indonésia e na Etiópia em cerca de cinco meses, governos e companhias aéreas de dezenas de países suspenderam as operações com o Boeing 737 MAX. Na maioria dos casos, a suspensão valeu tanto para a série 8 quanto para a 9 do modelo.
Wed, 20 Mar 2019 00:25:01 -0000
Homem é preso com espingardas, munições e uma pele de onça em São José
Suspeito foi flagrado por policiais ambientais carregando parte dos objetos e saindo de uma área de mata às margens da rodovia SP-50. Polícia Ambiental apreendeu armas para caça de animais silvestres Um homem foi preso na tarde desta terça-feira (19) com quatro espingardas, munições, apetrechos para caça de animais silvestres e uma pele de onça em São José dos Campos (SP). Ele foi flagrado pela Polícia Ambiental saindo com parte dos objetos de um trecho de mata às margens da rodovia SP-50, que dá acesso a Monteiro Lobato. Ao ser abordado, ele confessou que mantinha na casa em que mora espingardas, além de facas, armadilhas, explosivos, munições e um couro de onça. Ele foi preso por porte ilegal de arma de fogo e também foi multado por crime ambiental.
Wed, 20 Mar 2019 00:24:40 -0000
Brasil e México passam a ter livre comércio de veículos e autopeças
Os dois países tinham um regime de cotas - um país podia exportar carros sem impostos para o outro, mas só até um certo limite. Brasil e México inauguram acordo de livre comércio de veículos e de autopeças Brasil e México inauguraram nesta terça-feira (19) um acordo de livre comércio de veículos e autopeças. Montadoras instaladas nos dois países podem agora comprar e vender carros sem nenhuma barreira comercial, livre de tarifas de importação e sem limite de quantidade. A medida alcança os veículos comerciais leves e as peças usadas na manutenção. Antes, Brasil e México tinham um regime de cotas - um país podia exportar carros sem impostos para o outro, mas só até um certo limite. Automóveis e autopeças são os principais produtos da relação comercial do Brasil com os mexicanos. Dados do Ministério da Economia mostram que, em 2018, o Brasil ficou em desvantagem - importou mais do que exportou. O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale, diz que é favorável à abertura comercial, mas alerta para o risco de uma fuga de investimentos para o México. “O México é entre 30% e 40% competitivo que a gente, vence em vários fatores: na questão de custos trabalhistas, simplificação tributária, na questão logística, custos de insumos como energia. Em quase todos os setores o México tem vantagem competitiva em relação ao Brasil”, disse Magale. O governo brasileiro, no entanto, entende que é possível manter a competitividade porque o acordo com o México tem um detalhe importante: só terão direito a cruzar a fronteira sem pagar tarifa carros com 40% de peças produzidas no Brasil ou no México. No regime anterior, esse percentual era de 35%. Por causa dessa mudança, o governo espera que os mexicanos comprem mais peças brasileiras. E se os mexicanos não conseguirem cumprir essa meta agora, o governo pretende negociar condições melhores para o livre comércio de caminhões e ônibus, previsto para começar em 2020. E até de produtos agrícolas. Diego Bonaldo Coelho, coordenador do Observatório de Multinacionais da ESPM, diz que o acordo é uma sinalização de abertura da economia brasileira. “Nós não vamos poder pensar no setor automotivo como pensávamos antes. Vai mudar: carros compartilhados, novos tipos de carros. Nesse ponto, acordos desse tipo, principalmente de liberalização comercial, podem ser muito interessantes e benéficos para ambos os países”.
Wed, 20 Mar 2019 00:20:56 -0000

This page was created in: 0.01 seconds

Copyright 2019 Oscar WiFi

This website or its third-party tools use cookies, which are necessary to its functioning and required to achieve the purposes illustrated in the cookie policy. By closing this banner, scrolling this page, clicking a link or continuing to browse otherwise, you agree to the use of cookies. If you want to know more or withdraw your consent to all or some of the cookies, please refer our Cookie Policy More info